sexta-feira, 19 de outubro de 2012

" A paciência no Senhor não é humana."


Acordei, e o Senhor me atentou para essa chamada máxima, no estudo da Lição..

" A paciencia no Senhor não é humana."

Ultimamente tenho me deparado com diversas e adversas situações em que é claro compreender que  falta um pouco mais de clareza, que falta paz, que falta confiança.
Acho que todos estamos buscando a certeza das coisas, que "parecem" incertas. 
E então me lembro de um verso bíblico que diz que Buscamos claridade, mas andamos em sombras densas. Isaías 59:9 
Isso diz muito, seja pela nossa mínima condição de pecadores, seja pela simplicidade que insistimos em complicar, não compreendemos que " O que é visível é apenas temporal, mas o invisível é eterno." E isso define bem a fé, o nosso tipo de fé. Por isso a verdadeira fé é eterna.Por isso a tamanha grandiosidade DA PACIENCIA não é nossa, não pode vir de nós, e só de Deus.

Romanos 5, mais a frente nos diz "...que também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a PACIÊNCIA, e a paciência a EXPERIENCIA, e a experiência a ESPERANÇA. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Romanos 5:3-5

Veja, quantas coisas! E agora, eu entendo, o que Ele atentamente quer nos dizer. O que ele quer me dizer.
Por isso, quando nos faltar a simples palavra Paciência, peça! Porque um dia, como este, onde o sol raiou tão lindo,ou talvez em um não tão brilhante como este, talvez mais escuro e distante, o Senhor te levantará e concederá o desejo 
do teu coração.

" Esperei com paciência NO SENHOR, e Ele se inclinou para mim." Sl 40:1

BRISA, Bárbara.

domingo, 16 de setembro de 2012

" É na caminhada que somos transformados."

" É na caminhada que somos transformados."

Meio: Caminhada
Fim: Transformação

Meio e Fim esclarecidos.

Segundo algumas fontes, caminhada seria andar em determinada direção. Respectivamente, transformação seria metamorfosear, tomar forma. Parafraseando fica-se entendido: É andando em determinada direção que metamorfoseamos, tomamos forma.
É possível fazer elo então com o processo de ganho de experiencias, possíveis no estado de caminhada.
Neste caso, a caminhada é constante, real e diária. O tempo segue seu ciclo de ordem, e não para.
Observando nosso cotidiano, o eterno processo de tomar decisões, de escolher entre coisas, de frustrar-se ou alegrar-se em meio a tudo ou nada, nos rouba inteligentemente a todo momento das garras da estagnação e inércia.
O que quero afirmar é que movimento gera vida e logo, crescimento.
E portanto, se já escolhemos não ficar parados, demos o primeiro passo.
Porém, os caminhos da vida nos levam a real definição de quem somos, de onde viemos e para onde vamos?

A transformação nos permite olhar para a nossa velha versão, e encontrar um contraste, se deparar com uma descoberta dentro de nós e entender que tudo se deu por caminhar.
É como aquela ideia de Einstein, que diz que uma mente que se abre a uma nova ideia, eu diria a um novo horizonte, jamais voltará ao seu tamanho original. De uma perspectiva diferente, porém com algumas semelhanças.
Bom, a verdadeira transformação nos move, nos direciona, nos motiva, e então torna-se possível o nascimento de um foco, um verdadeiro objetivo de busca.

Quando penso em transformação, não posso deixar de ver Deus. Seja na sua perfeita forma de moldar nosso caráter, no seu pleno cuidado...enfim.
Mas ainda sim, nos é imputada a liberdade de escolher.
Uma vida diária e constante de contato, de proximidade, onde há um investimento de tempo de qualidade num relacionamento de perfeição, é a chave para entender quem somos, de onde viemos e para onde vamos,  porque Ele é que nos moldou. Isso é engraçado porque eu começo a me lembrar das nossas formas de querer explicar/entender/justificar/argumentar as coisas sem nem termos prática nisso. Sem nem mesmo sermos autores da Vida. Mas isso já é um outro assunto.  (risadas)

BRISA,Bárbara.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Janela

Amanheceu. Quarta feira.
Beira o nono dia. Um mormaço na cidade.
Tempos depois,
já é possível ver sombra do concreto sobre a cor.
A essa hora, o sol está quase partindo,
as nuvens se encontram,
as arvores deixam-se balançar pelo vento poupado a correr.

Dentro, silêncio.

Quatro, Cinco, Seis horas...
- Zooooooooom
Corta o silêncio.
Vermelhos, pretos ou pratas,
seguem os carros.
Quem vem, quem vai,
sabe que logo o dia acaba.
Quem vai, quem vem,
o dia acaba, logo, sabe.

Voam os pássaros sobre o céu azul,
apressam-se mães ao encontro de seus filhos,
e então, vejo vida e movimento contrastando.

Lá fora, barulho.

Basta uma janela,
pra então poder observar.
Dentro ou fora,
tudo prestes a acontecer,
tudo em pleno movimento,
tudo em estático circuito.

Se fico ou atravesso a janela, estou dentro e fora ao mesmo tempo.
Que importa a perspectiva? São dois lugares concomitantemente,
e basta uma janela.

BRISA, Bárbara

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Ele Partiu às Quatro

Ele levou uma escova do tamanho dos dentes, alguns pares de meia, separou seu tenis velho de maior gosto,
os cd's adquiridos tão brevemente, um cortador de unhas...
- Tem algum dinheiro?
Disse ela..
Desprovido de qualquer sarcasmo ele responde:
- Eu tenho 1 Dollar.
E prosseguiu em passar o zíper na mala.
Daqui ouvi dizer ele:
- Pronto! Acabou!

Um tempo antes, sentados os três, ela disse:
- Mas como assim não vamos nos despedir na hora de você ir?
E ele simples e conclusivo instiga um pensamento:
- A ideia de despedida não necessariamente deve ser a do momento em que vou partir, mas sim, ser a do ultimo momento em que vamos passar juntos.

De repente parei no tempo, isolei essa ideia e comecei a refletir, e de fato, fazia total sentido.
É engraçado como formamos cultura das coisas, culpa do nosso apego, por isso pensamos assim. Enfim, nunca nos acostumamos com uma despedida.

Sei que ele me deu um disco do Beatles, e recomendou expresso cuidado!
- Ó, o disco é de 60, original. Olha o encarte! Cuida dele!
De fato, o disco não negava a autenticidade.
Ainda deixou uma ampulheta, um afita VHS do Pink Floyd, lamentando...mas..

Algumas coisas eu coloquei na mala sem que ele visse, claro... Até a foto da mãe.
Sei que o que me admira, é a simplicidade dele, na forma de decidir as coisas, de pensar, do que levar, sem determinados apegos...

Ah, fui me despedir...
Demos um abraço. E...foi meio folgado..
Reclamei!
E então, ele calorosamente, me deu um verdadeiro abraço, cheio de vida e unicidade. Do jeitinho dele mesmo, como não ser...

Lembrei-me então de quando ele chegou, guardou as coisas, pegou o violão, tocou um Chico e disse que o violão ficaria. Que se quisesse levasse pra desempenar o braço.
O ukulelê é claro, ia junto dele!

Ele indo, a gente ficando..
A gente ficou de pés na porta do quarto, vendo aquela arrumação, aquela meia-partida, queríamos só mais um tempo com ele...

Enfim, daqui a pouco, serão 16hs. E então: Partida!

BRISA, Bárbara.

domingo, 19 de agosto de 2012

InspirAção

SALVAÇÃO e  SERVIÇO!

Temos nos deparado com constantes debates e estratégias idealizadas a fim de realizar da melhor forma possível um chamado que Deus colocou em nossas mãos.
Algumas palavras como COMUNHÃO, RELACIONAMENTO e MISSÃO podem te lembrar algo?
Exatamente, essas palavras aplicadas sozinhas num chamado tão grandioso como esse não podem produzir um resultado positivo. Porém trabalhadas e desenvolvidas juntas e da melhor forma possível, os melhores resultados surgirão.
Agora pensemos... o que move você a se dedicar, a dedicar uma vida, uma vida diária à comunhão? ao exercício do IDE?
Existe um pensamento que diz que salvação e serviço são duas palavras, porém são totalmente dependentes uma da outra. Ou seja, inseparáveis. Não há como ser salvo, ser impactado, ser transformado por Deus e não testemunhar disso, não compartilhar dessa novidade de vida. Entendem?
Mas nos detamos a Inspiração. O que hoje lhe motiva ao serviço cristão, a viver essa verdade, essa liberdade de estar em Cristo? O que lhe inspira a falar deste amor, a buscar o céu, a comunhão, a espiritualidade?

O céu deve ser nosso desejo, Cristo deve ser a nossa inspiração, o amor deve ser a nossa arma.
Inspire Ação, Trabalho árduo pelas almas, e queira de verdade estar no céu, encontrar seus queridos, e então conhecer e prosseguir em conhecer eternamente o Senhor!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O encontro do Rio


Prometi que entregaria seu presente quando chegasse ao céu.
E mal percebendo, vi que havia mil presentes que eu queria lhe dar,
mil histórias que eu poderia contar,
sem ver o sol se pôr, sem ver a noite se passar.
Ou seja, eu teria tanto tempo para apenas ficar ali,
na eternidade, na eterna idade que teríamos.
E mal percebendo, vi que se fez tanto tempo...
Porém mais ou menos dia, a minha eterna idade em vida,
atravessá o rio, e como num reencontro, nos meus pequenos,
tímidos e apressados passos, vou te ver,
lendo estas simples linhas que escrevi para você.

BRISA,Bárbara.

domingo, 5 de agosto de 2012

Êxodo


Poder, Santidade e Sabedoria de Deus na Redenção. Êxodo. Um livro? Uma partida, uma nova jornada?
Israel a caminhar, anos e anos, e num ciclo onde novas vidas surgiam e outras findavam, mais perto ou mais distantes, Canaã era promessa!
Uma jornada que se estendeu pela incredulidade do povo. 
Porém, ali, naquela longa caminhada, Deus proporcionou ao seu povo, purificação dos pecados, desapego e desvencilhamento das práticas egípcias, sem dúvida. Liberdade ao povo Ele concedeu. Tal saída, foi extremamente importante para um Recomeço. 
Atentem-se para o caráter da palavra êxodo, o que ela os remetem?
Certas vezes é tão necessário partirmos, decidirmos deixar o Egito, eu diria, partirmos da escravidão, para uma vida de liberdade em Cristo, de purificação. E por vezes, mesmo caminhando sem aparente clareza, devemos ter a certeza de que é possível se manter firme e perseverante, confiantes de que " esquecendo-me das coisas que para trás ficam, e avançando para as que estão a frente, corro direto para a linha de chegada a fim de conseguir o prêmio da vitória. Esse prêmio é a nova vida para a qual Deus me chamou por meio de Cristo Jesus". 
A promessa é viva! É real, mas nos exige deixar para trás definitivamente, quem achávamos que deveríamos ser, nossos maus hábitos, e nossa falha concepção de que por nós, podemos! Não. Escute, todas as coisas são e devem ser por Ele, por meio dEle e PARA Ele. Devolva a Ele, se por um sinuoso instante você tomou  inprudentes rumos, a definitiva posse dos teus dias, permita que sua liberdade seja real!

B.S.O de Ernest Gold compôs uma peça intitulada  Êxodo, com grande propriedade. Ouçam. É    possivel sentir nos movimentos, a história que já conhecemos, trazida em nossa Bíblia. Confiram! 
E lembrem-se, é breve a hora de partir, preparemos as malas, estejamos prontos a todo instante. Canaã nos espera!

















BRISA,Bárbara.

terça-feira, 31 de julho de 2012

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Nosso Tempo É Quando...















Passar algum tempo de qualidade consigo mesmo, com Deus, com seus amigos, é de fato saudável.
Entardecer, envelhecer um pouco mais ao final de um dia, fica menos explícito, quando não nos deixamos nos resumir a isso.

Com o tempo, viver, deixar uma canção tomar caminho em nossas veias, pode se desgastar ou tomar frequência.
Fizemos dos simples encontros um humano momento de desapego, de serenidade e paz com nós mesmos.
Víamos o sol se despedir, as andorinhas seguirem seu caminho, e seu canto a ecoar sobre os céus eram um prelúdio às nossas tímidas e sinceras trocas revezadas de silencio-meias palavras-tempo e boas risadas.
Um bem estar apenas por poder contemplar tanta calmaria.

Em algum certo momento, passado algum tempo, nos cercamos de menos entardecer, de menos silencio-meias palavras - tempo e boas risadas, ninguém sabe o que houve, e puxa, que saudade!
Mas hoje, agora, pela janela, recobrando meus sentidos, tenho entendido que essas memórias e suas seguidas formações não perderam sua autenticidade, nem mesmo nós. Acredito que estávamos apenas num espaço de tempo nos reconduzindo e recriando nossas frágeis estruturas frente a tanto concreto interpretado como for.

O importante é que de volta, o tempo se envolva,  e entre os acessos de sua austeridade e revolta, de fulgor e calmaria, não se perca sequer um milímetro do que pudemos vivenciar.


E como diria Vinícius:

" Outros que contem,
passo por passo:
Eu morro ontem
nasço amanhã
ando onde há espaço
Meu tempo é quando. "


Pluralizo e digo que Nosso Tempo É Quando!

BRISA,Bárbara.

sábado, 21 de julho de 2012

Apenas Ouça a Minha Voz!


Ouvimos durante alguns dias, sobre compromisso, renuncias, fé e quem sabe mais.
Por que fé? Por que compromisso? Por que renuncia?
Ouso questionar porque nos mantermos numa zona de conforto referente a nossa própria comunhão, a nossa própria saúde espiritual?
Utilizando da referência de Tiago 1:19, mesmo possuindo um contexto diferente, volvamos à inicial " Sejam prontos para ouvir ".
Qual a tamanha urgencia em precisarmos ter prontidão em ouvir? Por que é tão importante?

Chega uma hora que nos encontramos de frente com o chamado, sendo desafiados a dar um passo inicial, e então seguir. 
Como obter direção e luz para tal jornada? 
Temos grandes exemplos que nos provam a interferência de ouvir, atentar e aceitar um chamado. 
Entretanto,por que Ele nos dizer: Apenas Ouça a Minha Voz? 
E como ouvir sua voz, cercado de tantas marés, de tantas inconformações e questionamentos, porque ouvir alguém, se ao mesmo tempo tantos dizem? Ousamos questionar a Deus tantas vezes, sem nem mesmo pronunciar palavras..

Jó, em um certo momento de tamanha luta, ousou questionar a Deus e então, Ele o respondeu mostrando quem era o Grande detentor de todas as coisas, quem esteve desde o princípio e se fará presente até o fim. E em determinado momento Jó, compreendendo sua pequenez, diz: Eis que sou vil, calo-me, UMA VEZ FALEI E NÃO REPLICAREI, OU DUAS VEZES PORÉM NÃO PROSSEGUIREI!

Fica claro então porque ouvir Sua voz? Porque não estamos diante de homem falho, de palavras ao vento, nem de uma criatura, estamos diante do Todo Poderoso Deus, Criador e Senhor de todas as coisas, aquele ao qual devemos nossa vida! E que prontamente e em alerta nos mantém, para sair da zona de perigo.

Manter os ouvidos prontos não é uma fácil tarefa, é desconecção total daqui.

Apenas Ouça a Minha Voz, é o que Ele tem me/te dito todos os dias, porque tudo pode ser tão grandiosamente bem melhor governado. 

Cura da alma, quantos de nós buscamos isso do Pai? Ha tanto para permitirmos que Ele faça...e algo simples como Apenas Ouça Minha Voz soa tão confortante e desafiador para nós.
Por isso digo: Eis que sou vil, calo-me, UMA VEZ FALEI E NÃO REPLICAREI, OU DUAS VEZES PORÉM NÃO PROSSEGUIREI! Fala Senhor, que teu servo escuta!

BRISA,Bárbara.

terça-feira, 17 de julho de 2012

No compasso da Eternidade


Quando penso que mais curto o tempo está,
e que tão logo tudo vai passar,
e cada incerteza do amanhã vai se tornando tão limitada,
Vejo que andar em Espírito é muito mais
que obras feitas por minhas próprias mãos,
que os desejos mais altos que eu tive,
nem são ligeiramente o que tu planejastes.

Da liberdade que escolheu me dar,
ao que hoje se torna mais claro ver,
sinto o teu cuidado refletido
e então caminho como quem,
a paz um dia encontrou,
E na certeza da luz um dia alcançar,
aspiro essência e amor.

E sinto, e sinto...
Que o tempo vai se tornando mero tempo
no compasso da eternidade.

BRISA,Bárbara.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Velho e Novo, Causou.


Partimos, de um lugar para outro, num espaço de tempo resumido em poucas horas.
Ficaríamos. E o espaço de tempo estendendo-se para dias se estabeleceu.
Permanecemos, e mútuas, multiplas sensações se fizeram e desfizeram. O ritmo do instante de tempo, o pulsar.
Inconstante de pessoas, de espaço, de lugar, pouco grandes, pouco pequenas, pouco limitadas.
Mais ou menos dia, estaríamos caminhando, e a projetada ideia se desfaria, o concreto tomaria espaço e surpreenderia. Quanto tempo pra esse intervalo?
Correndo os dias, mais perto da volta, mais longe da data chegada, o dia nascia, porém as luzes não refletidas na janela, deixavam de denunciar o despertar, surpresa então despertava, e aprontava os passos pra seguir mais uma caminhada.
Um bom café, um bom tempo, uma boa companhia, a natureza se recriando lá fora, tudo compondo e decompondo, revirando o ciclo.
Volvendo o pensamento nos quilômetros sem mais noticias, restava deixar correr os dias.

Em certo tempo, em dia esperado, porém indiscreto e incerto. Avançada a hora, parte o coração com tamanha surpresa, acreditar não podia, debulha em lagrimas a pequena, ativada a cápsula do tempo, algo grande toma sua devida proporção e invade os ares de conforto da casa.
Expandido tamanho estusiasmo, cria que Alguém tudo podia fazer.
Chegada a data da partida, uma saudade das grandes supresas e emoções se fez, o tempo correndo tão depressa causou, velho e novo se movendo.

Enfim, percorrendo as nuvens, avistando o risco suave das plantações, às grandes construções, voltamos ao lugar entitulado de lar.
Mas um lar não se prende a concreto. Faz parte da ideia de que é um estado de espírito, acredito.
E poder se sentir em casa, num estado de espírito, seja no lugar que for, é sublime. Encontrar paz, calmaria desprendida e atemporal é sublime.

 Ver tudo isso ser real então...é....

BRISA,Bárbara.

domingo, 8 de julho de 2012

A Paz


Vejo um farol no fim dos rumos da rua.
É noite de domingo e bem fria.
Não há sinais de pessoas, nem de movimento de carros.
É noite de calmaria.
A cidade quase dorme, exceto por algumas luzes acesas.
Um silêncio paira, como se falasse.
Vejo a cobertura azul e seus luminares ofuscados pelo mar de concreto, feito por mãos de homens, e chego a seguinte questão: Aonde as pessoas encontram paz? Mas falo da verdadeira paz, não um mero encostar de cabeça no travesseiro e a ligeira ideia de que tudo se encontra no lugar apenas porque aparentemente cumprimos o protocolo.
Digo, uma tamanha serenidade, uma plenitude, tao certa, onde nem mesmo os maiores anseios e preocupações podem tirar esse conforto real.
Por um instante de tempo, fechar os olhos e me encontrar na imensidão apreciando cada puro brilho, não sentir nada mais que calmaria, não lembrar de absolutamente nada superficial e passeiro, apenas me deter na essência, fez-me sentir pequena e tão bem acompanhada dos astros,e eu podia tocá-los, e parecia em casa.
A verdadeira paz não se resume só a isso, mas é composta disso.
Então, se sentir em casa diante da imensidão, ser amparado junto aos braços do grande Criador, estar rodeado dos queridos, estar maravilhado ante tamanha perfeição delicadamente arquitetada é sim um privilégio.
Mas como alcançá-lo?
Tudo começa em decidir-se, e então buscar e manter comunhão, uma sincera comunhão que o tornará cada vez mais sensível ao toque e ao falar dEle. Intimidade é do que falo.

Todos nós buscamos uma paz, e essa paz pode nos acompanhar infinitamente, por isso entregue-se, todos os dias. Porque de intimidade é do que falo. E por meio desta busca, logo ali, veremos um farol no fim dos rumos da rua, que nos guiará aonde jamais pudemos pensar ou imaginar.

BRISA,Bárbara.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Esvazie


Estive pensando sobre " esvaziar de mim, e de tudo que me afasta de Ti"...

Grande parte do tempo, nos encontrar cheios de nós mesmos pode parecer tão natural que se não nos vigiarmos constantemente cairemos na ideia do conformismo.
Estar na linha de frente, cheio de si é um erro, e dos grandes. Afinal, nós, por nós mesmos, nada valemos.
Porém esvaziar-se é trabalhoso, retirar esta essência pecaminosa nada sadia pra nossa alma é de fato um arduo e diario exercício.
E então devemos parar e pensar: vivemos mais um dia apenas porque nos foi dado o fôlego? Só porque acordamos?
Isso é grave, afinal, qual o motivo de acordar todos os dias? Sonhos? Metas? Objetivos? Como funciona pra você?
Será que involutariamente estamos pedindo, omitindo em voz mas em coração gritando pra que o Senhor demorasse "só mais um pouquinho" pra conseguirmos bater nossos recordes, realizar nossos sonhos e conquistar mais e mais?

Devemos acordar todos os dias, cientes e determinados a nos engajar no propósito para o qual fomos criados. Entregarmos ao Pai nossos anseios e vontades e deixar que Ele lide com isso, afinal essa é uma atitude sábia, sábia porque só por isso já estamos dando um inteligente passo, um Deus criador, Nosso Criador, que sabe de tudo, que a tudo vê. Pense! Jamais encontraremos outro alguém assim!
Segundo, sonhar o que Ele tem pra nós é garantia TOTAL, eu digo TOTAL de que teremos sucesso na nossa jornada, seja pessoal ou espiritual.

Ja dizia o verso: Buscai primeiro o Reino de Deus e todas as outras coisas vos serão acrescentadas.
Ei, Ele é justo, fiel, protetor, não é homem para que minta nem filho do homem para que se arrependa! Tamanha perfeição.
Então? Ficou mais fácil entender porque Ele pode?
Por isso, atos como por exemplo de perdoar só são possíveis por Ele. E falo de perdoar a si mesmo, por tudo que fazemos de forma errada, conscientes ou não. O perdão a si mesmo, a meu ver é muito mais difícil, pouco nos conhecemos. Porém com Ele tudo, inclusive um esvaziamento desta velha essencia é possível. Que nosso eu se diminua e Ele cresca em nós.

Até porque: Porque dEle, por meio dEle e para Ele, são todas as coisas.

Esvaziar de mim, essa é uma boa ideia pra quem ja está cansado de por suas proprias forças seguir em frente, com Ele tudo é maior e melhor, eu afirmo!

BRISA,Bárbara.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Outono de 2012


Outono de 2012,

Seria a repentina ideia de minha mente, o tempo passar numa frequencia tão incerta e curta?
Que seja, logo chega a noite e já não se vê mais os passaros cantando a vida. Vemos pessoas, elas as vezes cantam, não sempre, não todas as manhãs.
Que seja, pois logo é dia novamente e os ipês florescem entre os nossos caminhos, e os pássaros passeiam sobre o céu azul, o puro e límpido céu de Brasília.
Que seja, outono, outro ano, outros donos, outros danos.
Uma questão de "t's" e "d's".
Uma questão de estações. Que seja, logo tudo segue outro ritmo novamente.
Na frequencia em que estamos, desacelerar seria fundamental, desconectar seria essencial e nos encontrar seria um novo bom começo. Mil vezes ao dia, quantas vezes preciso for, pra termos certeza do quanto é necessário compreender a nossa limitada forma de nos ver.
Nos ver, nos perceber, nos olhar, qual a grande diferença destas orações? Tantas funções, serão meras significâncias? Precisamos mesmo nos atentar a essas palavras? SIM. E se respondestes NÃO, caro amigo, de outono a outono, o tempo corre, as pessoas se metamorfoseiam, e no simples sentido das palavras é que vemos tudo isso acontecer.

Que seja, outono, ipê,
Que seja, você, o tempo ou eu,
Que seja palavra ou oração,
As folhas continuam a cair no chão,
e logo o despertar de uma nova estação.

BRISA, Bárbara.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Jesus Chorou

o que é o que é? · clara e salgada · cabe em um olho e pesa uma tonelada · tem sabor de mar · pode ser discreta · inquilina da dor, morada predileta · na calada ela vem, refém da vingança · irmã do desespero, rival da esperança · pode ser causada por · vermes e mundanas e o espinho da flor · cruel que vc ama · amante do drama · vem pra minha cama por querer · sem me perguntar me fez sofrer · e eu que me julguei forte · e eu que me senti · serei um fraco quando outras delas vir · se o barato é louco e o processo é lento, no momento · deixa eu caminhar contra o vento · que adianta eu ser durão e o coração ser vulnerável · o vento não, ele é suave, mas é frio e implacável · (é quente…) · borrou a letra triste do poeta · (só…) · correu no rosto pardo do profeta · verme sai da reta · a lágrima de um homem vai cair · esse é o seu b.o. pra eternidade · diz que homem não chora · tá bom, falou… · não vai pra grupo irmão, aí… · Jesus chorou…

Mano Brown

segunda-feira, 4 de junho de 2012

E um dia, para todo o sempre!


Dizemos que não temos certeza do amanhã, porém acordamos todos os dias como se já estivéssemos acostumados com um novo dia e seu amanhecer.
Mal sabemos que é inacreditável o nascer do sol..e este ciclo é renovado e ofuscado por nossas grandes tarefas.
Corremos atrás do vento e pelas coisas que nos custam muito mais e nos esquecemos do que de graça podemos desfrutar, dom gratuito de Deus.
Você pode não concordar, mas inacreditavelmente nasce um novo dia, e com ele uma nova oportunidade de se desprender de tudo que nos tira o foco do céu, se desprender da superficialidade e nascer junto, e resplandescer junto, e um dia, PARA TODO SEMPRE.

BRISA,Bárbara.

Quase um 7° Andar



Quase um 7° andar. Mas a imensidão ao menos parecia vista inteira minha. Todo o frescor, a brisa da noite, as luzes acesas da cidade, o silêncio completo, a voz das estrelas, o encontro da Lua. Espaço de tempo meu, initerrupto e puro.
Hoje, sem quase 7° andar, sem imensidão, e na altura em que estamos, só vejo concreto. 
Concreto que ofusca o nascer do sol pela manhã e a Lua pela noite. Nunca pensei. Na verdade pensei, tinha medo, previa. E os carros passam, as pessoas seguem a rotina dos passos e tudo volta ao seu lugar, menos o meu espaço no quase sétimo andar.

BRISA,Bárbara.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Congestionando, congestionan...

Congestionando, congestionan...
No meio de tanta informação, num mundo de ideias pairando os ares, 
sintetizar qualquer concreto plano parece missão impossível. 
Nem mesmo a mais simples pragmatização pode ser trabalhada quando 
nossos corpos mentais estão ativamente congestionados pelo exceso de tanta informação.

A vida funciona assim com uma certa frequencia, aparentemente o tempo todo a todo tempo. 
Difícil é perceber a que ritmo estamos andando e pensando, quando já parece um costume.
Outras vezes, estando em calmaria, assustar-se com a ordem das coisas é natural.
A turbulência se passa tanto no estado de congestionamento como no estado de calmaria. Imagine só. 
Dificilmente nos conformamos, e já programados pela rotineira prática de mutação, não nos acostumamos 
nem a nós mesmos. E de fato nos conhecemos pouco. Discorde quem puder e quiser, muitas vezes não estamos preparados nem para nós mesmos.

BRISA,Bárbara.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Luz, Imensidão, Mar e Humano Ser

Eu grito na dimensão do tempo,
E correndo entre a História vejo o vento,
Seguir carreira numa cápsula perdida.
Eu grito por luz,
Eu vejo senso,
Espanto a tempo de correr e captar.
Seguir carreira num piscar.
Eu passo mil e um compassos
Pra ver miscigenar, meu eu com seu
Minha pro- porção.
De tempos em tempos
Fez-se luz, fez-se imensidão
Fez-se mar, e humano ser.

BRISA, Bárbara.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Luz no Fim do Túnel


Vagante 'num' mundo.
Vaga ideia,
um errante.
Sem brilho ou cor, não pertencente de qualquer riqueza,
cego pelo ego de quem sou todos os dias, despido de vestes
mais puras e reais, não tão nobre, já que me fazendo de
minhas euforias e vontades, acabo por esquecer de qualquer outro.
Pobre eu, tão dependente e limitado, tão cheio de mim e
sem esperança. De que valia?
De que me valia, não poder ver os céus?
Não compreender os preceitos, não ver tua face,
ser guiado por meus pés cançados,
por meu triste coração. De que valia?

Ainda sem forças, buscava lutar comigo, pra contrariar
esses caminhos sinuosos e tão obscuros,
mas mesmo assim, falhei, isso mesmo, fa-lhei!
Vou dizer que em meio a tanta graça vista neste mundo,
não hã tanta graça assim nas pessoas,
elas estão corrompidas, e não sabem como se encontrar.
Decidi que não dou conta, que não tenho forças pra isso,
mas vendo que não podia, encontrei meu lugar,
encontrei quem sabia o que devia ser feito,
com mil forças mais, tão capaz.
Por isso, sentei, firmei meus pés no chão,
apreensivo apertei minhas mãos,
ainda duvidando, mais uma vez, pobre de mim.
Não podia compreender que estava ali tomando a melhor das minhas decisões.
E disse então: Tudo Entrego à Ti, Senhor do Tempo, Senhor da Vida,
Senhor agora meu. Senhor dos senhores.

BRISA, Bárbara

terça-feira, 15 de maio de 2012

Tocá-lo, senti-lo, tê-lo, podemos!

A sensação que tenho a cada dia, é que estamos tão vulneráveis aos segundos próximos que não podemos medir
a tamanha constância ao qual isso pode acontecer.
Estamos cheios de nós mesmos, supervalorizando nossos egos, nossos orgulhos.
Queremos na verdade dizer, ” Que a nossa vontade seja feita!” Mas mal sabemos que temos vãs vontades e vagos desejos. 
E quanto tempo escolheremos errado?
Em quanto tempo superaremos a concepção da nossa vaga capacitade de fazer as coisas? 
Não seria então, mais facil assumirmos nossa limitada concepção do que é necessário para se viver?
Atamos nossas mãos todos os dias,quando adiamos ouvir, sentir e deixar o Espírito adentrar.
E por que é tão difícil? Essa constante luta entre nosso eu e a vontade de Deus?
Ela permanecerá em nosso meio enquanto escolhermos uma posição estática, de conformismo, de acomodação, nas nossas maneiras de querer enfrentar a vida, nas adversidades, nos poréns e porvirs. Como nos enganamos!
Damos passos incertos e falhos, sendo que logo ao lado, logo bem ao lado existe Aquele a quem podemos depositar todos os nossos anseios, dúvidas, inconformações e  incertezas; temos Suas mãos estendidas a nos receber incondicionalmente, requerindo apenas que abramos nossos corações e deixemos o necessário ser feito.
Admiro este Deus, um Deus que é amor, que é justiça, que é verdade, é TUDO! E é perfeito!
Tocá-lo, senti-lo, tê-lo, podemos!
É tudo uma questão de entrega, de devida e potencial entrega, por inteiro, você entende?
Renuncia, do EU, do superficial, para algo de propriedade muito maior e melhor. Toda uma vida eternal, com ELE! 
Precisamos entender isso.

BRISA, Bárbara.

12 de maio de 2012 

Brev(Idade) do Tempo


Caminhando lenta e imperceptivelmente apressada, e então perdendo o ritmo do pulso dos passos, e já observando ligeiramente como que não se desprendendo, vejo tudo e nada vejo e logo se esvai a dimensão de lugar e ideia, sair do espaço concreto.
Ideia da memória, peça qualquer. Observar a ventania, a tamanha correria, parar. Parar, para, par.
Sujeitos ao passo de a um devido lugar chegar, e perdidos na mera trajetória, trocamos a importância de estar lá, pela superfície voluptuosa. Tudo chama, ação,  atenção e tempo. Quanto tempo pra esquecermos o porque de chegarmos? Quanto tempo pra esquecermos pra que chegarmos? Quanto tempo?
Nem ao menos sendo daqui, em terras estrangeiras,  fica claro. Logo, do que precisamos para que nossa mente expanda e compreenda que é breve o tempo de aqui ficar, que é breve e tão simples.
Teste então, testemunhar, mesmo que nos perdidos passos não se vejas caminhando, e fraco e sem esperança, saiba que por suas forças o único lugar que alcançará e perder-se sem ser. 
Caminhar para luz, exige-me, deve me inspirar, deve ser razão, deve ser trabalho árduo.
E então, já sem esperanças e consciente de que sou fraco, lá dos altos céus, ouço uma sublime resposta dizendo que sou forte, pois estás em mim.
Leva-me a crer que Tudo deve fazer parte da Glória dEle, e para a sua adoração, se não for por estes méritos, não estou no caminho que deveria.
E em exatidão e concordância o Universo diz, Tudo diz, que calmamente agora posso voltar a caminhar, pois a certeza que deveria ter, agora tenho! 

BRISA, Bárbara.

07 de maio de 2012 - Enquanto fenômenos acontecem..

Se Meu Povo

video


‎” Com fé se humilhar, e orar. O mEu perdão darei..”

Somos povo, chamados por Deus, e TODOS os dias ele quer apenas deixar de andar ao nosso lado, pra estar DENTRO do nosso pequeno coração.
Sabe a dimensão disso? A dimensão de poder ouvi-lo, de poder senti-lo, de poder conversar e entender das coisas do Pai? Sabe, sentir o perdão de verdade, sentir seu amor de verdade, a paz..a verdadeira paz? 
A gente não sabe, muitas vezes, a gente não sabe, que chances estamos perdendo, que grandiosas chances…!!

“Se meu povo” - esta condição…paremos pra pensar então, que por Ele já nos chamamos, e se com fé, a fé que pode mover montanhas, a fé que é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das que não se vêem; se nos humilharmos e orarmos, orarmos, a tão maravilhosa respiração da alma, Ele nos concederá perdão, nos ouvirá, porque Ele não se esquece dos seus filhos, e não despreza a prece do justo.

BRISA, Bárbara.

Nuvens


Em Antonio e Cleópatra de Shakespeare, há um fragmento que diz que, ás vezes contemplamos uma nuvem que parece dragão; às vezes essa forma toma o vapor de leão ou feroz urso, de cidade com torres, pedra ingente de promontório azul coroado de árvores, que oscila sobre o mundo, e nossa vista deixa atemorizada sem motivo. Sinais como esses já tens visto muitos; são fantasmas das tardes enubladas.
Mas esses não são apenas os sinais das tardes enubladas, são meus sinais da alma, e como nuvens se desfazendo, e a todo instante se reconstruindo, eu me encontro. Não há certezas, e sem mais motivos, nos atemorizamos, mesmo não precisando. Somos inatos, atos.

BRISA, Bárbara.

JESUS, JESUS, JESUS!!


JESUS, JESUS, JESUS!!
Uma uníssona voz bradava,  um povo escolhido, que ergueu sua voz para anunciar aos outros, por quem fomos resgatados e a quem servimos.
O mesmo Senhor que chamou Isaías.
Assim como nós, Isaías se sentia limitado em si, e reconhecia sua natureza de pecados, porém foi capacitado pelo Criador. 
Por isso estarmos aqui, por isso este propósito, onde ELE cresça e nós diminuamos.
Este chamado que diariamente nos é feito, exige que renunciemos o eu, que sigamos os mandamentos, que vivamos com o coração contrito, desperto e mais além.
Nós sabemos disso, compartilhamos de uma esperança verdadeira, então o que nos falta para exercer o IDE?
Quando penso que Cristo nos ama, e este amor é incondicional, e suas misericórdias pairam sobre nossas vidas de um modo tão gracioso e indescritível, e que não importa se fizemos escolhas erradas a um longo tempo atrás, ou que não mereçamos, concluo então que não há razão para ficarmos estáticos, pelo contrário há todas as razões para fazer o que nos foi pedido, por amor e gratidão.
Quando começarmos a praticar essas coisas, nossa visão se ampliará de uma forma tão grandiosa, e essa comunhão transbordará o coração, nascendo um brilho que se revestirá todos os dias, e todos verão.Este testemunho, é uma semente que pode nascer na alma de tantas outras pessoas.
Cristo nos chama, com sua voz de amor, com seus braços amparadores, e o tempo está passando…
Vamos escolher HOJE o servir em espírito e em verdade? Ter um coração puro e contrito? Abrir nossos olhos para sobrenatural?
JESUS, JESUS, JESUS, essa é a razão pelo qual estamos aqui e sempre deve ser. E se você assim como eu compartilha deste sentimento, abracemos de todo o coração este evangelho.

BRISA,Bárbara.

24/02/2012

O mar…


Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovadloff, levou-o para que descobrisse o mar.
Viajaram para o Sul. Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando.
Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar,
o mar estava na frente de seus olhos. E foi tanta a imensidão do mar, e tanto seu fulgor, que o
menino ficou mudo de beleza.
E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai: — Me ajuda a olhar!

Professor é Profissão


” Saber se você é um bom professor…
É uma difícil pergunta, mas se torna mais fácil, 
quando você sente o retorno de tudo.
A grande tarefa está em como e com que qualidade seu melhor é feito.
Há uma dualidade entre o desafio de cada aula e a resposta do trabalho feito.
… O resultado disso é relacionado com bons ou maus alunos? Pode ser,
mas também está intimamente ligado com o trabalho duro e crença no que faz e ensina.

BRISA,Bárbara. 

“E se você acha que a educação é cara então tenha coragem de experimentar a ignorância”. (Derek Bok)

Passos Cegos


Com os olhos bem abertos e as traves a nos cercar.
Com os olhos bem fechados e os pés viciados em andar.
Vai chegando uma hora que , ora, ora, quem seremos,
e quantos passos cegos daremos para perceber,
o que acontece ligeiramente sobre nossos olhos.
O que acontece afirmativamente a entortar nossas versões de nós mesmos.
Recriada, instantanea, imperativa, sendo como for,
nossas maiores e melhores versões de nós mesmos nunca vão representar ao
sumo, quem realmente, tentamos, somos ou deixamos de ser.
Pagamos pelo que fazemos e pelo que deixamos de fazer. Ou seja, até nada é
tudo, e até tudo torna-se nada, na mais próxima perspectiva.

BRISA, Bárbara.

    14/07/2011

A Lua e Eu



E lá estava ela, tão bela, insinuante e a se exibir, ainda era muito cedo, precisamente, hoje, 5:45, todo o céu ainda azul, quase negro. Lá estava ela pra mim! A lua me acordando pela rua, me deixando ao prazer, a vontade de acordar todos os dias nesta mesma hora, só para vê-la ser em mim outra vez!
                                                                          BRISA, Bárbara

de RICARDO CAVALCANTI

Imagine só caros amigos se todo Ser que se intitula seguidor dos princípios e ensinamentos cristãos cumprisse este único e irrevogável mandamento deixado pelo Rei dos Reis: “Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.“ Gálatas 5:14 O dia seria simples e não haveria desavenças se eu compreendesse que as palavras cruéis atiradas pelo meu irmão foram ocasionadas por um desequilíbrio momentâneo . Todos os habitantes do meu bairro teriam um meio viável de se locomover se eu vendesse o meu carro e os presenteasse com algumas bicicletas. E se eu levasse o morador de rua para minha casa e, lhe desse conforto e alimentação? E se eu, fatigado, com todo o descaso fosse as ruas exigir do Governo melhores condições para a Educação e, para a Saúde Pública? Quem é capaz de sentir indignação a cada ato cometido injustamente a outrem cumpre este preceito cristão, então, nosso companheiro Ernesto de La Serna e seus ideais estão mais próximos do que se imagina do Livro Sagrado, Che seguia o evangelho. O Comunismo defende a distribuição de renda igualitária a todos, Karl Marx pregava a impregnação da justiça social na humanidade, mas o Cristão usa rédeas, com uma visão tacanha não abandona a velha concepção de que o Comunista é um devorador de criancinhas.Devorador de criancinhas é o patrocinador de uma elite que ostenta e acumula as riquezas, enquanto uma família não possui condições de se alimentar. Afirmo sem medo de possíveis retaliações: Deus é o Comunismo! Nitsche não assassinou Deus, Nitsche assassinou a religião, caro amigo leitor, esta é uma Conteporânea fuga dos problemas, a função da religião se assemelha com o objetivo dos ignorantes que encontram no alcoolismo um conforto disfarçado. Metralhemos a religião, extirpemos este câncer social. A evolução do país se dará quando as igrejas se preocuparem mais com os fiéis do que com a construção de grandes templos. E se o figurão Edir Macedo vendesse uma de suas casas avaliada em 600.000 dólares e, dividisse o dinheiro entre os menos favorecidos por nossa política atual? E se a igreja não mantivesse uma postura egoísta e Capitalista? E se…vivêssemos de maneira consciente e sustentável?

Pulso


Um passo, um pulso,
Apenas surto.
Um passo, um pulso,
Apenas escurto.

BRISA,Bárbara

Nada Ser

Tenho medo de ser nada e por fim, chegar a nada ser.
Mas que medo, medo que arranca anseio,
me intriga e inspira que por medo de nada ser,
venha eu ser um pouco mais que ser nada!

BRISA,Bárbara

O caminho do tempo perdido


Caminhamos pelo tempo, perdidos,
Procurando todos os retalhos esvoaçados.
Na verdade nem sabemos quanto ao certo temos, ou quanto durará.
Todas as tragédias vão se formando, destruindo o conformismo.
Estamos caminhando para onde?
Nossos passos tão frágeis e inseguros, muitas vezes nos levam sozinho para o mar de escuridão.
E então o que medirá este tempo, o que faremos dele? Como seremos esquecidos? Com glória?
É que quando estamos em guerra, as alavancas se fecham, e aí estamos prontos, em guarda e esperando tudo desabar , em um só minuto, entretanto, buscando na escuridão paz, a poeira se desfaz e a luz nasce no peito, como viva esperança.
                                 
BRISA, Bárbara






Moinho da Mente


Todas as sensações se emitem e emanam do mesmo ventre
Quando o corpo transpira, quando o coração palpita
Quando a voz ofega e a vaga verdade, vira fato.

Todas as sensações me enganam a dizer que é tudo pela frente
e muito antigo, e muito mais moderno do que a superfície.

Todas as minhas conveniências se passaram e gritaram por suas obrigações
em ser, em ver e não calar-se.

BRISA,Bárbara


Por do Sol

Alguns minutos atrás , estava debruçada sobre minha janela, curta e limitada, observando tamanha beleza.
Hoje, já, sexta-feira, praticamente indo, e concomitantemente, ele vindo, e mais tarde se despindo e mutando.
Eu já não estou nas veias da flamejante Brasília, agora eu só estou aqui, admirando e me convencendo de quão belo é este por do sol, e quanta paz ele traz, pra quem pode nele acreditar.
 BRISA,Bárbara

Fire

Não se sabe a chama que ascende todos os dias, e arduamente queima e consome,
lenha por lenha, fogo a fogo. Com o tempo toda a combustão evacua aos ardores ,
ao apreço, e se torna pó, grão, como queira entender , seja como for, a imensidão
é ilustre, e como sopro, me apega, envolve e assemelha toda essência não mais serena.

BRISA, Bárbara

Discordando do Tempo


Algumas pessoas procuram sinais
Outras desistem deles
E o tempo a revolto, desfavorável e imcopassivo,
remete sem dizer em quais, a quantos ele vai surpreender.
Tudo torna-se esquecido, remoto e inalcansável.
Tudo é seco, frágil e frio.
Algumas pessoas procuram sinais,
Outras desistem dele.
Eu? Eu quero os fatos, eu quero convicção eu quero entendimento.


BRISA,Bárbara